Para MP, Goiás x Vila Nova é “diferente” e torcida única é uma tendência natural

O promotor do Ministério Público de Goiás (MP-GO) Sandro Halfeld, que protocolou ação civil pública pedindo que os clássicos entre Goiás e Vila Nova sejam disputados com torcida única até que o Serra Dourada receba adequações, como biometria e setorização, acredita que a medida requerida pelo MP é um caminho natural. Halfeld, que é coordenador do Grupo Especial de Atuação em Grandes Eventos do Futebol (Gfut), lembrou os recentes episódios de violência entre as duas torcidas e citou exemplos de estados onde clássicos já são disputados apenas com torcedores do clube mandante.

O próximo jogo entre Vila Nova e Goiás está marcado para o dia 14 de outubro, com mando do Vila. A ação, protocolada no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), ainda não foi julgada, mas o promotor acredita que o Ministério Público tem bons argumentos para que a medida seja acatada. Segundo Sandro Halfeld, o MP alertou sobre a possibilidade de confronto entre esmeraldinos e colorados antes do clássico disputado no dia 24 de junho, na 10ª rodada da Série B. Após a partida, torcedores dos dois clubes se enfrentaram no antigo setor da geral.

– O clássico entre Goiás e Vila Nova é diferente. Existe um histórico de violência. Nós já tínhamos alertado. Agora temos argumentos ainda mais convincentes. Sempre existe o risco em eventos que atraem muito público. Mas em Goiás x Vila Nova é certeza. Em São Paulo, os clássicos já não são disputados com duas torcidas. Estamos tomando o mesmo caminho – disse Sandro Halfeld nesta sexta-feira.

O promotor acredita que as próprias partes estarão de acordo com o pedido do MP, sobretudo, a polícia militar e os clubes envolvidos, que receberam severa punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela briga no clássico do dia 24 de junho. Para a próxima partida entre os dois rivais, no entanto, o Goiás promete recorrer caso a decisão seja favorável ao pedido do Ministério Público. Isso por que o clube esmeraldino foi o mandante na partida do primeiro turno e recebeu torcedores dos dois clubes. Mas para Sandro Halfeld, o fato não impede que o próximo clássico seja disputado com torcida única.

– Acredito que todos estão de acordo. Como ainda não há a decisão judicial, não sabemos a posição oficial das partes (clubes, polícia militar, Federação Goiana de Futebol, CBF e Agetop, responsável pela administração do Serra Dourada). Mas os clubes não suportam mais uma punição como esta. Com relação ao fato de o primeiro jogo ter sido disputado com as duas torcidas, cada jogo tem sua história. Não existe a obrigação para que o próximo clássico também seja com torcedores dos dois clubes – completou o promotor.

Estádio Olímpico

Embora Goiás e Vila Nova prefiram o Serra Dourada ao Olímpico, reinaugurado no ano passado, os dois clubes poderiam optar pelo Olímpico nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro ou mesmo no ano que vem. A ação do Ministério Público refere-se exclusivamente ao Serra Dourada, contudo, o promotor Sandro Halfeld acredita que por questões de segurança a própria PM pediria clássico entre Goiás e Vila Nova com torcida única caso um dos clubes optassem pelo Olímpico.

– Nossa ação é sobre o Serra Dourada. No Olímpico, seria uma situação diferente. Não é objeto da ação, mas a gente acredita que a PM não iria liberar. Se já é difícil fazer a segurança no Serra Dourada, que é grande, a gente acredita que no Olímpico seria mais difícil. Precisa da liberação da polícia militar para ter as duas torcidas. Acho que não precisaria nem de ação para ter uma torcida só, o próprio bom senso determinaria isso.

Torcidas organizadas

Um dos tópicos principais da ação civil pública refere-se às torcidas organizadas. Segundo o promotor Sandro Halfeld, a setorização com lugar específico destinado a este tipo de torcedor seria benéfico para as próprias organizadas. O promotor ainda acrescentou que elas têm sido importantes na identificação de infratores.

– A gente pede um local específico para a torcida organizada. É um problema que existe. O que fazer? Entrar com ação contra as torcidas organizadas? Não, as organizadas, inclusive, nos ajudaram na identificação dos “brigões”. A torcida organizada reclama, até com razão, que os infratores já foram expulsos. Mas o estádio é aberto. Qualquer um pode comprar a camisa da torcida e entrar lá. Então não tem como fazer o controle e a culpa fica para as torcidas organizadas. Por isso, pedimos essa setorização.

Fonte: Globoesporte

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!