Ecival confirma problemas com jogadores que reclamam de salários atrasados, mas irá solucioná-los

Jogadores que defenderam o Vila Nova no ano passado reclamam que o clube não cumpriu o acerto feito no fim da temporada. A maioria alega ter ficado sem receber os meses de outubro, novembro, dezembro e 13º salário. Em alguns casos, a dívida é menor ou já foi quitada. Em outros, o atraso no pagamento é ainda maior.

De acordo com o presidente Ecival Martins, o problema existe e foi causado principalmente devido a uma renda penhorada inesperada. Ao fim da Série B do Campeonato Brasileiro, a diretoria e o departamento financeiro do Vila fizeram acerto com jogadores por meio de cheques. Entretanto, muitos atletas tiveram problema ao fazer o depósito, como conta o lateral Marcelo Cordeiro.

– Os jogadores que estavam aí (no Vila Nova) no ano passado perderam a paciência. Ele (Ecival) deu cheque sem fundo para todo mundo, fez um monte de promessa e não está cumprindo. Não estamos vendo outra saída a não ser entrar na Justiça. Deixei ele me pagar da maneira como ele quisesse e, mesmo assim, ele não conseguiu cumprir com a promessa – afirmou Marcelo Cordeiro.

O lateral também questiona o fato de jogadores que estão no atual elenco do Vila Nova terem recebido, enquanto os que defenderam o clube em 2016, não. Segundo o presidente Ecival Martins, não é uma questão de escolha. Ele reconhece o problema do clube e afirma que outros atletas do ano passado já estão com a situação normalizada.

– Tivemos um problema com o dinheiro com o qual contávamos. Um montante inesperado foi penhorado, são coisas de gestões passadas do clube que a gente nem estava sabendo. Infelizmente essa é a realidade. Pedimos um pouco de paciência. Eles (jogadores) alegam que alguns já receberam. Mas estamos acertando na medida do possível. Acertamos com o Wagner Bueno, por exemplo. Não quero esconder o problema, até porque ele existe. Mas quero dizer que nossa prioridade é solucioná-lo – disse Ecival Martins ao GloboEsporte.com.

Diante do atraso, alguns jogadores já acionaram a Justiça e outros estão prestes a tomar o mesmo caminho, como o atacante Frontini, que alega ter ficado cinco meses sem receber. Em contato com a reportagem, o jogador, atualmente no Crac, afirmou já ter passado a situação para seu advogado. Ecival Martins afirma que a diretoria tenta acelerar o pagamento dos atletas e compreende o fato de alguns acionarem o clube na Justiça.

– Se acharem que a gente não está falando a verdade, então o caminho é esse (entrar na Justiça). Como eu falei, tivemos um problema inesperado. A cada dia me surpreendo mais aqui no Vila Nova, são coisas passadas. Muitos funcionários, que nem têm o espaço que os jogadores têm na mídia, também passaram por esse problema. A gente vai resolver assim que for possível – afirmou o presidente do Vila Nova.

Entre os jogadores que ainda tentam receber estão nomes como Victor Bolt, atualmente no Goiás, além de Fernando Neto, Reginaldo, Fabinho e Jefferson Feijão. Nesta terça-feira, o volante Victor Bolt, do Goiás, foi questionado sobre o atraso no pagamento e afirmou estar na mesma situação dos demais jogadores.

– Minha situação é a mesma dos outros. Fizeram um acordo, me deram três cheques. No dia 20 de dezembro não compensou um cheque. Liguei para o presidente e ele falou para deixar para o dia 26. Esse cheque ficou certo. Mas ainda restam dois. Quero conversar para não ter que entrar na Justiça, mas ele (Ecival Martins) não está dando bola para a gente. Os jogadores do ano passado receberam cheque, mas não receberam dinheiro – disse Victor Bolt.

Além da falta de pagamento, os jogadores reclamam do fato de o acordo ter sido feito da maneira como o clube pediu. Segundo Marcelo Cordeiro, ele deu boas referências do Vila Nova após ter saído de Goiânia com os cheques em mãos.

– Tudo foi feito como o clube quis, inclusive o número de parcelas. Deram cheques, mas perdemos a paciência. O pior é que me ligaram. O Felipe Albuquerque (diretor de futebol) me ligou para eu dar boas referências do clube. Alguns jogadores contratados pelo Vila Nova nesse ano são meus amigos. Falei que poderiam ir. Meus cheques também voltaram. Minha agência é de Porto Alegre. Estou indo ao cartório, pois tenho de passar uma procuração para um amigo meu pegar os cheques de volta. Sei que entrar na Justiça prejudica a imagem do clube, mas não estou vendo outra solução – disse Marcelo Cordeiro.

Fonte: Globoesporte.com

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!