CBF faz mudança na presidência da comissão de arbitragem

Sérgio Corrêa dá lugar a Coronel Marinho após polêmicas na copa do Brasil

Uma semana após a polêmica rodada da Copa do Brasil marcada por contestações de dirigentes cariocas por erros da arbitragem nos jogos Corinthians x Fluminense e Vasco x Santos, a CBF anunciou nesta terça-feira a troca no comando da Comissão Nacional de Arbitragem: sai Sérgio Corrêa da Silva, que estava no cargo desde 2014, e entra Marcos Cabral Marinho de Moura, conhecido como Coronel Marinho, que foi responsável pela arbitragem na Federação Paulista de Futebol.

Leia também

Segundo o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, o afastamento foi pedido pelo próprio Sérgio Corrêa, que quer ficar apenas à frente do projeto de arbitragem de vídeo.

— Sérgio Corrêa é de absoluta confiança do ponto de vista do comando da arbitragem. Acreditamos na sua qualificação técnica, seriedade, correção, mas há um desgaste natural pelo tempo. Ele é o mais longevo, o mais antigo coordenador dessa área no futebol brasileiro. Portanto, reconhecemos seu cansaço —disse Feldmam ao Sportv.

O Coronel Marinho já assume hoje. Ele terá Alício Pena Júnior como vice-presidente da comissão, que contará também com o ex-árbitro Cláudio Cerdeira e a ex-bandeirinha Ana Paula Oliveira.

A primeira saída de Sérgio

Esta é a segunda vez que Sérgio Corrêa deixa o comando da comissão. A primeira foi em agosto de 2012 (estava no cargo desde 2007), quando teria sido demitido pelo então presidente José Maria Marin. A arbitragem já vinha sendo muito questionada à época, e o ápice da insatisfação foi um jogo entre Corinthians e Santos, no qual o assistente Emerson Augusto de Carvalho deixou de ver três impedimentos no mesmo lance que resultou no segundo gol do Santos na vitória por 3 a 2.

Sérgio Corrêa voltou ao cargo em 2014. Apesar de a CBF afirmar que a troca nada tem a ver com erros, a última semana ficou marcada por fortes críticas dos presidentes de Fluminense e Vasco, após a eliminação na Copa do Brasil.

— Todo mundo que erra paga. Menos o árbitro. Ontem (quarta-feira passada) causou prejuízo moral, financeiro, e fica por isso mesmo. Nem adianta recorrer à CBF, vou à Justiça — disse Eurico Miranda, deixando claro que travaria uma guerra com a CBF por mudanças na arbitragem.

O Fluminense, que teve dois pênaltis não marcados contra o Corinthians, já havia criticado a Comissão de Arbitragem em outros momentos. Outros clubes, como Atlético-MG, já haviam pedido a cabeça de Sérgio Corrêa, que sempre foi muito pressionado pelos clubes, responsabilizado pelos erros de arbitragem e acusado der passar a mão na cabeça dos árbitros.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!