André Pitta explica o que muda com a retomada do Goianão 2020

Foto: Fábio Lima/O O popular

Em entrevista para a Rádio Sagres 730, o presidente da FGF, André Pitta, foi direto ao falar sobre o que muda sobre o retorno do Campeonato Goiano em janeiro de 2021. Para o dirigente da federação goiana, a mexida foi de extrema importância.

“O problema é que nós temos os clubes em competições nacionais. Essa mexida foi fundamental para a volta do Campeonato Goiano. Obviamente, que se fossem jogos com torcida, seria diferente, pois seria uma forma de arrecadação. Como não tem torcida, os clubes concordaram, assim como no Campeonato Paulista. Em caso de empate, decisão por pênaltis”, explicou André Pitta, presidente da FGF.

Em contrapartida, o rebaixamento causou divergência entre os clubes do interior do estado: Anapolina, Iporá, Vila Nova, Goiânia e Grêmio Anápolis – coincidentemente os cinco últimos na classificação – que votaram contra o descenso para a segunda divisão do Goiano. Já o Atlético-GO, Goiás, Anápolis, Crac, Goianésia, Aparecidense e Jaraguá foram a favor.

“Nessa hora, todo mundo defende os seus direitos, e a gente respeita. Fui bem democrático, coloquei em votação, mesmo sabendo que seria uma mudança contra a lei, ilegal. Deixei claro que não era uma posição que a FGF gostaria de tomar, não seria justo uma virada de mesa, até porque o que os clubes fizeram no campeonato, a pandemia não atrapalhou em nada, com tudo definido dentro de campo. Agora, eles terão a chance de remontarem os elencos, até melhor do que foi feito, e recuperar dentro de campo também”, ressaltou Pitta.







Os comentários estão encerrados.

error: Content is protected !!